Para que serve e como fazer um mapeamento de competências?

Fazer o mapeamento de competências ajuda no desenvolvimento dos colaboradores e da empresa. Saiba mais!

07 de Dezembro de 2021

Você já deve ter ouvido falar que as pessoas são o bem mais precioso de uma instituição. Justamente por esse motivo, fazer o mapeamento de competências é tão importante.

Para que serve e como fazer um mapeamento de competências?

Entender o trabalho de cada profissional e como cada um pode contribuir para a empresa é essencial para o desenvolvimento das partes. Além disso, essa ação impacta em várias outras questões do ambiente de trabalho.

Dessa forma, queremos ajudar você a entender mais sobre o mapeamento de competências e como aplicá-lo. Confira!

Por que realizar o mapeamento de competências?

Dentre muitos benefícios que você conhecerá a seguir, o mapeamento de competências ajuda a fornecer uma visão clara de cada uma das funções dos colaboradores.

A partir disso, a empresa pode identificar os gaps dentro de cada área, planejar um remanejamento dos colaboradores, fazer novas contratações e até criar novos processos. Além disso, mapear as competências também pode ajudar a promover mais produtividade e o desenvolvimento dos times.

Quais os benefícios?

Antes de tudo é importante entender que essa avaliação de competências não é uma ferramenta de microgerenciamento, mas uma metodologia voltada para o desempenho dos funcionários.

Entre os mais diversos benefícios, para as empresas, o mapeamento de competências agrega em:

  • Comunicação mais assertiva com os colaboradores;

  • Auxílio na tomada de decisões;

  • Insumos para a realização de feedbacks;

  • Alinhamento do Fit Cultural;

  • Melhoria do clima organizacional;

  • Retenção de talentos.

Já para os funcionários, ela contribui para:

  • Transparência sobre os objetivos da empresa;

  • Plano de carreira;

  • Direcionamento das competências e habilidades a serem exploradas;

  • Mais possibilidade de reconhecimento.

Tipos de perfis comportamentais

O perfil comportamental é um indicativo que pode ajudar a prever o desempenho e reação dos colaboradores diante de diversas situações, entre elas um momento de pressão ou de crise.

Existem, basicamente, quatro principais tipos de perfis comportamentais:

  • Comunicador: se adapta bem às situações e costuma se destacar em funções dinâmicas e que permitem autonomia;

  • Executor: possui forte senso de liderança e gosta de assumir riscos;

  • Planejador: se sai melhor em funções estratégicas, que necessitem de calma e equilíbrio para resolver as situações;

  • Analista: costuma ser muito comprometido e se destaca em atividades intelectuais e que necessitem de muita atenção.

Embora esses sejam os perfis mais comuns, um profissional pode apresentar mais de um deles. Dessa forma, é necessário avaliar aquele que mais se destaca.


DISC

Como fazer o mapeamento de competências?

Alguns passos podem ajudar nessa tarefa, confira:

Liste as competências organizacionais

A primeira e mais importante etapa é listar as competências que são relevantes para a empresa, o setor e cada cargo. Para isso, leve em consideração as hard skills e soft skills esperadas.

Defina as metas

Com base nas competências que foram definidas para cada cargo, estabeleça os indicadores e metas esperadas, pois esses pontos serão importantes no futuro.

Os indicadores ajudarão a deixar claro para a equipe o que a empresa espera de cada um, além de orientar para o crescimento dentro da instituição. Não esqueça de comunicar as metas aos colaboradores para que haja um alinhamento interno.

Aplique as avaliações de competências

O mapeamento de competências deve ser feito a partir de avaliações, que precisam ocorrer de forma bem organizada Normalmente, isso acontece através de um questionário, com base em uma dessas estruturas:

Entrevista estruturada

Nessa entrevista para o mapeamento de competências são definidos tópicos a serem abordados de forma estratégicas e padronizada. Esse é um modelo muito utilizado e de fácil aplicação.

Entrevista não estruturada

Trata-se de uma conversa conduzida de forma mais espontânea, onde o colaborador tem abertura para expressar suas opiniões. Por se tratar de um bate-papo natural, as questões podem ser apresentadas de forma mais sincera e confiável.

Entrevista comportamental ou situacional

São feitas perguntas que induzem o funcionário a comentar sobre situações que já passou e como ele lidou com cada uma delas. Essa técnica também é chamada de STAR (Situação, Tarefa, Ações tomadas e Resultados obtidos).

Analise os resultados

A partir da realização do mapeamento, analise os resultados para então começar a tomar as decisões necessárias, a fim de melhorar a produtividade e eficiência dos times.

Perceba que os resultados condizem com o ambiente organizacional, com o plano de carreira e os caminhos que a empresa tem tomado.

Defina competências futuras

Depois de analisar as questões anteriores você perceberá basicamente o que precisa melhorar na empresa. Com isso, comece a colocar em prática as mudanças, capacitações e investimentos necessários.

Para além das competências

Embora as competências humanas sejam fundamentais para o sucesso de uma empresa, elas precisam estar acompanhadas de insumos para que isso aconteça.

Ou seja, a empresa também precisa contar com iniciativas e investimentos para otimizar o trabalho dos funcionários. No RH, por exemplo, softwares de recrutamento e seleção auxiliam o dia a dia do setor.

Um ATS como o PandaPé ajuda a fazer o mapeamento de competências desde o momento do processo seletivos, garantindo assim, contratações mais assertivas.

Além disso, essa ferramenta também otimiza o trabalho dos profissionais de RH, permitindo que eles foquem no que mais importa: o desenvolvimento das pessoas.

Clique na imagem abaixo e conheça o PandaPé!

pandape

Encontre os melhores profissionais

Anunciar Vaga