Publicidade

Palestra discute mentiras nas organizações

De Redação InfoJobs

As mentiras são responsáveis por um prejuízo enorme nas empresas do mundo todo, mas como identificá-las e, principalmente, qual é a melhor forma de agir quando detectadas? O escritor, grafólogo e especialista em linguagem não verbal, Paulo Sérgio de Camargo orientou cerca de 120 profissionais da Área de Recursos Humanos na palestra “Como Identificar Mentiras nas Corporações”, evento realizado na quarta-feira (25) na sede do CRA/SP (Conselho Regional de São Paulo) e promovido pela parceria do InfoJobs e a Editora Fênix.

Palestra discute mentiras nas organizações

Por que mentir?

Estudos científicos apontam que escutamos cerca de 210 mentiras em um só dia, sendo que em um bate papo entre amigos são ditas pelo menos três a cada dez minutos. Mas por que as pessoas mentem? Segundo Camargo, os principais motivos que levam um indivíduo a fornecer informações falsas são: prazer, adrenalina, medo de punição, ganhar prestígio, manipular informações, esconder algo, senso de poder, evitar constrangimento, preservar a privacidade, causar danos aos outros e principalmente por instinto. “A mentira não está só no ser humano, está na natureza. Os animais mentem para sobreviver e enganar e nós também. Mentir nem sempre é negativo, algumas mentiras visam a melhoraria da relação com o próximo”, afirma o especialista.

Em que situações?

Entrevistas e dinâmicas de grupo são quase um convite a mentira. Nessas circunstâncias o candidato sob avaliação encontra-se vulnerável e, por isso, mente para se promover. Nessa ocasião, é importante que o recrutador esteja atento e saiba reconhecer os sinais que indicam que o profissional está mentindo. Informações falsas também podem ser identificadas em diplomas e certificados. Camargo alerta as organizações a tomarem cuidado com dados inflacionados nos currículos e falsos atestados médicos e também ensina um método para combater mentirosos nas seleções. “Uma técnica é pedir para a pessoa narrar um histórico cronológico da sua carreira e depois pedir para repetir novamente só que ao contrário. Se o indivíduo se confundir é sinal de que está mentindo, pois sua memória de curto prazo é falha, porém, se a história for verdadeira, será muito simples de ser contada ao contrário porque já está sedimentada no cérebro“, explica.

Como identificar


Segundo o especialista, existem manifestações corporais que denunciam uma mentira. Isso acontece porque quando um indivíduo mente o córtex singular do cérebro se confunde e manda mensagens contraditórias para todo o corpo, o que gera uma série de movimentos como, por exemplo, olhar para cima e para o lado direito. Esse procedimento aponta que a pessoa está acionando o lado criativo do cérebro, ou seja, está inventando. Dilatação da pupila, suor, rubor nas faces, aumento das piscadelas, contrações, tiques, constantes modificações posturais e levantar somente um ombro também são ações resultantes do desequilíbrio do córtex. “A mentira identificada em uma entrevista, dinâmica ou negociação auxilia uma pessoa a definir sua atuação, sendo assim, esse indivíduo irá negociar, recrutar e ensinar melhor.” Concluí Camargo.

Publicidade
Publicidade