Publicidade

Palestra analisa discursos e práticas nas organizações

De Redação InfoJobs

Em seus discursos, as organizações sempre apresentam uma conduta politicamente correta, porém na prática isso pode ser um pouco diferente. Esse contraste estimula uma série de comportamentos que diminui o índice de satisfação dos colaboradores e prejudicam o clima organizacional da empresa. Esse foi o assunto da palestra ministrada pelos co-autores do livro “Discursos e Práticas de Gestão de Pessoas e Equipes”, Gustavo G. Boog e Marcelo Boog, que orientaram cerca de 80 profissionais de RH em como agir nessas situações. O evento, promovido pela parceria do InfoJobs e a Editora Fênix, foi realizado na quinta-feira (02/08) na sede do CRA/SP (Conselho Regional de São Paulo).

Palestra analisa discursos e práticas nas organizações

As pedras no sapato

Para embasar o tema, Gustavo e Marcelo realizaram 50 pesquisas de clima organizacional envolvendo mais de 32 mil empregados e o resultado apontou a criação de grupos fechados nas empresas, as famosas “panelinhas”, como o principal motivo de insatisfação dos colaboradores seguido de fofocas, injustiças e favorecimentos pessoais. De acordo com os especialistas, esse tipo de comportamento é muito prejudicial. “Se as áreas da organização não se comunicam ou se veem como inimigas, os processos se tornam mais longos e demorados o que atrapalha os resultados da empresa”, explica Gustavo.

A importância do líder

A pesquisa também revela que a atuação da gestão também está alinhada aos índices de satisfação dos colaboradores, pois são os líderes que representam a empresa e participam diretamente nas políticas de recursos humanos, de treinamento, de remuneração, de delegação e avaliação de desempenho. Uma liderança capacitada no processo de gestão de pessoas é apta a identificar e desenvolver soluções para problemas de comunicação e comportamento dentro da empresa. “Um líder que possui discursos e práticas positivas gera um clima organizacional positivo e isso cria excelentes resultados organizacionais”, afirma Marcelo.

Dar e receber

Existe uma relação de troca entre empresa e colaborador. A pessoa trabalha para obter salário e benefícios, em contrapartida a organização espera dedicação, conhecimento e resultados. Essas exigências fazem parte de um contrato estabelecido por ambos no ato da admissão, porém existem outras expectativas que não fazem parte desse acordo. A organização espera que o funcionário vista a camisa e esteja sempre motivado enquanto este quer reconhecimento e oportunidade de crescimento na carreira. Para que essas exigências sejam alcançadas é fundamental que exista um equilíbrio entre discurso e prática. Assim existe um aumento da satisfação dos colaboradores e resultados de negócios.

Ação

Para obter um excelente resultado a empresa deve agir nas causas e uma das ferramentas para identificar possíveis desequilíbrios é, justamente, a pesquisa de clima organizacional. “A empresa também é um grande ser vivo e a pesquisa é uma espécie de check-up que deve ser realizado periodicamente. Porém se um problema é diagnosticado como, por exemplo, a falta de comunicação entre as áreas, e não é feito nenhum investimento que estimule o trabalho em equipe, os resultados tendem a piorar, pois houve um levantamento que gerou expectativas nos colaboradores que se sentirão frustrados”, conclui Gustavo. O resultado da pesquisa desenvolvida pelos especialistas revelou que as melhores empresas dão foco nas questões humanas, alinham prática e discurso e consequentemente são muito mais rentáveis. Essa é a fórmula para um excelente índice de satisfação entre os empregados e também a melhor forma de otimizar os resultados.

Publicidade
Publicidade