Papel do RH para o engajamento no Home Office

Como o setor de recursos humanos pode impulsionar a produtividade dos colaboradores durante o home office

28 de Maio de 2020

De forma repentina, muitas empresas adotaram o home office nos últimos meses, como alternativa para interromper a propagação do coronavírus, COVID-19. Nessa nova realidade de trabalho as corporações como um todo, dos líderes aos colaboradores em cargos gerencias e operacionais, enfrentam desafios para se adaptarem a uma nova rotina e processos que viabilizam as atividades.

Gamificação no ambiente corporativo

Assim, o setor de recursos humanos tem papel fundamental para orientar as equipes, acompanhar a experiência dos colaboradores e impulsionar a produtividade. Nesse momento a resiliência da empresa está diretamente relacionada as adaptações e as transformações digitais, que já é uma realidade, e torna viável o trabalho remoto.

Pesquisas indicam que 70% das empresas de diversos setores da economia brasileiras visam adotar o home office, integral ou parcial, como uma prática efetiva após a crise do COVID-19. O sucesso e comodidade do trabalho remoto pode intensificar esse processo de implementação no “novo normal”, além disso a economia de custos com transporte, locação de escritório e outros gastos de um local físico influenciam a decisão de adotar o trabalho remoto.

Por isso, hoje um dos principais desafios do setor de recursos humanos é entender como gerenciar o home office e impulsionar a produtividade engajamento com essa realidade que é nova para muitas empresas.

Para implementar o home office o principal desafio do RH é adaptar as ferramentas digitais para garantir a comunicação das equipes, segurança das informações, e principalmente o bom desempenho dos processos.

Os principais pontos para o RH se atentar para a resiliência da empresa nesse processo são:

  • Adaptação: A rotina do home office é totalmente diferente do trabalho no escritório, existem interferências que podem ocorrer, como problemas com internet e equipamentos, ou até mesmo a interrupção de familiares.
    Além disso, o dia a dia de interação com os colegas de trabalho também é diferente, e isso pode ser prejudicial para o desempenho das equipes. Assim, o RH deve orientar os colaboradores a buscarem as melhores formas de trabalhar, desde ambiente, horários e acordo com os familiares.

  • Rotina: Pensando no ponto anterior é importante que o RH oriente a gestão a aproximar a rotina do trabalho a distância com a rotina do trabalho pessoal, ou seja, manter as atividades diárias, como reuniões e trocas de experiências entre os profissionais, isso ajuda a manter a equipe sempre alinhada e motivada.

  • Comunicação efetiva: Outra questão importante é o canal de comunicação direto entre líderes, RH e colaboradores. Manter o envio de comunicados e ações internas cria o clima de pertencimento, união e apoio da empresa ao funcionário.
    Esse canal de comunicação efetiva também é crucial para sentir o clima das equipes e entender melhor como está sendo a adaptação dos colaboradores.

  • Treinamento: Esse é um aspecto que influencia diretamente no desempenho das equipes. Algumas empresas adotaram o uso de tecnologia para atuar nesse momento de home office, nesse processo de adaptação é importante que o RH auxilie os gestores e equipes com treinamentos e instruções para o melhor uso das tecnologias disponíveis.
    Lembrando sempre de se adequar a LGPD e firmar os protocolos de atuação, para garantir o uso de ferramentas seguras para que as informações não sejam corrompidas.

  • Orientação a gestão: Com a mudança dos formatos de atuação o RH precisa também traçar um caminho para que os gestores implementem novas práticas de trabalho, que vão desde as reuniões para assuntos de trabalho ou questões esporádicas, até as novas formas de calcular a produtividade, controle de tempo e estimular o engajamento, determinando padrões de liderança a distância.

Gamificação no ambiente corporativo

Recrutamento a distância

A contratação a distância é um outro fator importante para se pensar na atuação do setor de recursos humanos. Devido a pandemia, não é viável realizar processos seletivos presenciais e após a crise o recrutamento digital continuará sendo uma ferramenta inovadora e econômica.

Por isso, agregar tecnologia aos processos de recrutamento é tão essencial, essa é uma prática que visa contratações rápidas e assertivas. Com o PandaPé, software de recrutamento e seleção desenvolvido pelo InfoJobs, é possível gerenciar todo o processo a distância para contratar de maneira eficaz, com recursos de vídeo entrevista, comunicação automatizada, triagem de currículos personalizada, testes online e outras ferramentas.

Nesse momento o RH deve também traçar nos planos para trabalhar a marca empregadora, a fim de manter ativo o canal de comunicação entre empresa e candidato. Além de revisar os processos e estratégias que já estão em atuação.

A resiliência da empresa reflete na atuação ativa do RH nesse cenário, em muitos casos, o processo de trabalho remoto é totalmente novo para as corporações e muitos colaboradores não estão adaptados a essa realidade.

Por isso, o RH deve pensar principalmente no bem-estar e adequação do capital humano, ouvindo as percepções dos funcionários e garantindo que as mudanças sejam feitas para que o desempenho seja o melhor possível, de acordo com a realidade de cada negócio.

Como criar um banco de currículos qualificado

Encontre os melhores profissionais

Anunciar Vaga